O camarada Mavrikos fala das três formas básicas da luta de classes (a primeira a económica)

siria_____ω 197

Nota: Excerto do discurso do camarada Mavrikos no Simpósio Sindical Internacional em São Paulo (Brasil) a 2 Outubro de 2015, evento para comemorar os 70 anos da Federação Sindical Mundial.

As três formas básicas da luta de classes

As formas básicas com que aparece a luta de classes e com que esta se desenvolve são a luta económica, ideológica e política.

A luta económica é o primeiro passo para um trabalhador, para um sindicalista. É a escola primária, o ABC da luta de classes.

É a forma mais simples que é entendida por qualquer trabalhador, inclusive pelos trabalhadores com o nível mais baixo de consciência. Inclusive este trabalhador sentirá a necessidade de exigir um salário melhor, melhores condições de trabalho, os direitos que reclamam da segurança social, por menos horas de trabalho, por melhores convénios colectivos, por melhor cobertura durante os períodos de desemprego e de despimentos.

Todas estas exigências económicas empurram os trabalhadores para a constituição de sindicatos e empurram os trabalhadores para a participação nestes esforços dos sindicatos que promovem este tipo de exigências económicas. Através da participação neles, aprendem acerca das greves, aprendem sobre as manifestações e aprendem sobre as diversas formas de protesto sindical. Através da participação neles, se põem em contacto com a rica experiência acumulada pelo movimento operário mundial.

Através da luta económica, a classe operária pode melhorar a sua condição económica sob o capitalismo, ainda que deve ter-se em conta que as margens para a dita melhora são cada vez mais estreitas em condições de uma profunda crise económica e da deterioração crescente do sistema de exploração.

Ao mesmo tempo, a luta pela melhora da situação económica põe em movimento, activa amplas massas populares, educa-as e prepara-as para as formas superiores da luta de classes.

É de grande importância destacar que sempre a luta económica tem margens estreitas, que nem sempre conta com resultados permanentes e constantes, já que os capitalistas têm muitos métodos à sua disposição para voltar a roubar os benefícios económicos que se viram obrigados a proporcionar aos seus trabalhadores como resultado da luta de classes. Tomam com uma mão, o que tiram com outra.

Devido a que a luta económica não toca nas causas profundas que geram e reproduzem a exploração capitalista, não pode libertar os trabalhadores da barbárie capitalista.

Todas estas dificuldades não devem conduzir ao abandono da luta económica.

A luta pelas exigências económicas é necessária para as massas populares de todos os países do mundo e abre novos horizontes para os sindicatos e para os seus líderes. Ao mesmo tempo, no entanto, deve ser enfatizado que, para que a luta por melhores resultados e vitórias mais importantes seja útil, para a classe operária, esta tem que ir mais além do economismo (economicismo na tradução espanhola) e superar as suas limitações.

Um nível superior que a  luta económica é o nível da luta ideológica

Fontes: FSM (em PDF), FUL (em italiano)

Advertisements

One thought on “O camarada Mavrikos fala das três formas básicas da luta de classes (a primeira a económica)

  1. Pingback: Discurso do camarada George Mavrikos, SG da FSM em São Paulo (Brasil) no dia 2 de Outubro de 2015 num Simpósio Sindical | Pelo Anti-Imperialismo

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s