No dia seguinte à maré operária e camponesa de sábado em Atenas: o KKE homenageia os seus guerrilheiros do DSE (Exército Democrático da Grécia)

Uma síntese rápida da história da Grécia. O KKE liderou dois exércitos na Grécia: o ELAS (Exército de Libertação Popular da Grécia) antifascista multi-partidário para expulsar os ocupantes nazis mais os seus colaboracionistas e o DSE (Exército Democrático da Grécia)  comunista revolucionário e realmente proletário que lutou para derrubar o capitalismo imposto por novos ocupantes anglo-estadounidenses e portanto fazer a Revolução Socialista. O ELAS lutou pelas armas entre 1942 e 1945 e o DSE de 1946 a 1949. O ELAS por incluir tendências burguesas e pequeno-burguesas liberais e reformistas passou em parte para o lado do capital, mas o DSE lutou até ao fim pela Revolução Socialista. O KKE através do DSE cumpriu o dever de todos os partidos comunistas que se prezem que é lutar por todos os meios pela Revolução Socialista, para libertar os trabalhadores e o povo explorado da escravatura capitalista. O DSE foi derrotado militarmente, com um grande número de mortos, presos e exilados quando a sua força proletária e popular foi finalmente derrotada. Mas para a história da Grécia e do movimento comunista grego e internacional fica também simbolicamente o facto de nem o KKE nem o DSE alguma vez se terem rendido ou abdicado do seu objectivo revolucionário – as armas nunca foram entregues e o DSE nunca se rendeu.

No dia seguinte à maré operária e camponesa de sábado em Atenas  que prepara uma Greve Geral de dois dias na Grécia intensificando duramente a luta contra a austeridade do Syriza e da Troika o KKE fez uma homenagem ao DSE lembrando uma das suas batalhas. O actual Secretário-Geral do CC do KKE, Dimitris Koutsoumpas discursou num monumento de homenagem aos combatentes do DSE  e afirmou:

“A luta do DSE honrou as lutas anteriores do movimento popular e, principalmente, inspirou as lutas das próximas gerações. Continua a inspirar e ensinar.

Honramos os oficiais e suboficiais, homens e mulheres, lutadores comuns e combatentes do DSE. Tudo e todos, jovens em sua grande maioria, que lutaram heroicamente (…) com forças muito superiores do exército do governo grego, a Guarda Nacional, polícia (…).

Honramos todos aqueles que em condições inimaginávelmente ​​difíceis, continuaram a acção ilegal para fortalecer o DSE. Todos os que em Makronisos e perante o pelotão de fuzilamento seguraram bem alto a bandeira do Partido Comunista.

Especialmente honramos as jovens do DSE, camponesas simples, que sentiram na luta pela defesa de um mundo melhor, pela sua existência, o verdadeiro sentido da vida, mas também experientes na luta política no quadro da luta para a realização da igualdade e pela emancipação das mulheres .

Tudo e todos, nós não os deixamos cair no esquecimento, nem na distorção e nem na difamação da sua luta e dos seus sacrifícios.

Nós temos em nossas mãos firmemente e levantamos a bandeira dos maiores ideais humanos pelos quais eles caíram. Para pôr fim à exploração do homem pelo homem, pôr fim às guerras e à pobreza. Para alcançar o socialismo-comunismo.”

Fontes: 902.gr e 902.gr

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s